Acesso Reservado

Entre na sua conta.

(Z1) 2020 - CM de Vila do Bispo - Um concelho a descobrir

Animalife lança Plataforma Solidária Animal

Animalife lança Plataforma Solidária Animal

Inquérito revela associações em dificuldades

As receitas das associações ligadas à causa animal têm vindo a cair drasticamente nas últimas semanas e a maioria teme em breve enfrentar dificuldades na aquisição de bens e de produtos essenciais para garantir o bem-estar dos animais que tem a cargo. Estas são duas das principais conclusões de um inquérito conduzido pela Animalife junto de associações de todo o país. 

Com base nos resultados do estudo, a associação de sensibilização e apoio social e ambiental decidiu criar uma estrutura capaz de responder às principais dificuldades enunciadas pelas organizações inquiridas - a Plataforma Solidária Animal (PSA).

Com o objectivo de perceber quais os principais impactos que a situação atual, no âmbito da pandemia de COVID-19, está a criar para as associações de apoio animal, a Animalife enviou, no final da semana passada, um inquérito a 230 associações, distribuídas de norte a sul do país.

À pergunta “As receitas da associação têm vindo a cair nas últimas semanas?”, cerca de 88% admite que sim (58% responde que “sim, drasticamente”, enquanto mais de 30% assume perdas mais moderadas, respondendo “sim, um pouco”).

Quando perguntado se a organização está a ter dificuldade em conseguir adquirir os produtos/bens necessários para a execução do seu trabalho (ração, desparasitantes, material), a maioria receia que tal possa em breve vir a ser uma realidade – 40,7% responde “ainda não, mas tememos vir a registar necessidades dada a atual situação”, ao passo que 35,4% assume “estamos com dificuldades moderadas que se têm vindo a acentuar ligeiramente” e 14,8% reconhece que enfrenta “graves dificuldades acrescidas pelo estado de emergência”.

O receio de que a situação se possa vir a agravar é evidente. Questionadas se existem apoios em risco devido ao estado de emergência, a quase totalidade das associações responde de forma positiva. 77,2% admite estarem em risco os apoios por parte das pessoas individuais, 45,6% receia a perda de apoios relacionada com a esterilização de animais (programa CED) e 17,7% refere a perda de apoios por parte das autarquias.

Sobre quais os bens mais urgentes que as associações têm encontrado dificuldades em assegurar, a alimentação para cão ocupa o primeiro lugar (55,6%), seguida da alimentação para gato (48,1%) e da areia de gato (34,6%). Quanto às necessidades logísticas mais prementes, as FAT (Famílias de Acolhimento Temporário) surgem no topo das respostas (43%), seguidas dos voluntários para limpeza e manutenção dos espaços (35,4%). Relativamente a pedidos de apoio excecionais fora do seu âmbito geral de atuação, a maioria (43,8%) salienta as solicitações para alimentação de colónias.

 

A resposta da PSA

Para dar resposta a algumas das dificuldades apontadas pelas associações no inquérito agora divulgado, a Animalife decidiu lançar a PSA, uma plataforma solidária que pretende fazer a ponte entre pessoas disponíveis para ajudar e aqueles que precisam do seu apoio. 

Além da distribuição de alimentação animal pelas associações, a PSA pretende ainda apoiar noutras situações, tais como:

 - ajuda a doentes infetados que não têm com quem deixar os seus animais de companhia (FAT – Famílias de Acolhimento Temporário);

- ajuda a pessoas incluídas nos grupos de risco, limitadas nas suas saídas e, por isso, com necessidade de quem lhes passeie os animais de companhia;

- ajuda na compra e entrega de alimentação/medicamentos/outros produtos para animais a pessoas impedidas de o fazer, por motivo de doença ou por integrarem um grupo de risco;

- ajuda na alimentação de colónias;

- transporte de animais de/para clínicas médico-veterinárias;

- apadrinhamento de despesas essenciais, como alimentação, medicamentos ou despesas médico-veterinárias.

 

A par com o lançamento da PSA, a Animalife criou uma campanha de crowdfunding destinada a assegurar o sucesso dos apoios prestados. Todos os interessados em contribuir, podem fazê-lo através do site ou  das redes sociais da associação http://bit.ly/Covid-19_PSA.

  • PARTILHAR   

Outros Artigos