Acesso Reservado

Entre na sua conta.

(Z1) 2020 - Águas do Algarve - Vídeo

Receio do coronavírus provoca corrida às compras e ruptura de ‘stocks’ em hipermercados de Lagos

Receio do coronavírus provoca corrida às compras e ruptura de ‘stocks’ em hipermercados de Lagos

Carne, água, gel desinfectante e álcool são alguns dos produtos que rapidamente se esgotaram nos hipermercados. Um homem gastou 800 euros num dia em compras.

“Está tudo louco! Nem no Verão se vê isto...”, disse ao «Correio de Lagos», um popular à saída do hipermercado Continente, em Lagos, uma das grandes superfícies comerciais, nesta cidade, onde aumentou de forma significativa a afluência de pessoas para adquirir os mais variados produtos como forma de prevenção devido ao impacto resultante do coronavírus (Covid-19). Garrafões e garrafas de água, grandes quantidades de carne, gel desinfectante, lixívia e álcool são alguns dos produtos mais procurados pelos clientes nos hipermercados Continente e Lidl.

 

Gel desinfetante e álcool esgotados com o coronavírus

 

Segundo apurou o «Correio de Lagos», um homem gastou cerca de 800 euros num só dia no hipermercado Continente, onde acabaram por se esgotar os ‘stocks’ de carne. gel desinfectante e álcool, por exemplo, também se esgotaram desde o aparecimento do coronavírus.

 

“Quem tem disponibilidade económica quer açambarcar todo o tipo de produtos, e quem faz compras só à medida das suas possibilidades e consoante as necessidades, acaba, depois, por não ter aquilo de que precisa”

 

“Mesmo perante este problema do coronavírus, as pessoas deviam ser mais moderadas nas suas compras, o que acaba por provocar aos supermercados dificuldades em repor os stocks. Quem tem disponibilidade económica quer açambarcar todo o tipo de produtos, e quem faz compras só à medida das suas possibilidades e consoante as necessidades, acaba, depois, por não ter aquilo de que precisa. As pessoas devem lembrar-se das outras e não entrar nesta correria desenfreada aos supermercados, levando tudo, de forma a haver produtos alimentares e higiénicos para toda a gente e não apenas para quem tem muito dinheiro”, afirmaram ao «Correio de Lagos» vários clientes, como recado ao que se está a passar nesta cidade.

 

Casal visto a sair de hipermercado em Portimão com quatro carrinhos de compras carregados de sacos

 

Também em Portimão disparou o movimento nas grandes superfícies comerciais. Por exemplo, “há dias, vi um casal a sair do Continente com quatro carrinhos de compras carregados de sacos” contou ao «Correio de Lagos» Luís Varela, do Sindicato dos Músicos, ironizando: “até parece que o mundo vai acabar amanhã!...” “É a paranóia do povo português. Há anos, ninguém queria saber dos desinfectantes  colocados à entrada de estabelecimentos; agora é que toda a gente se preocupa com os desinfectantes à venda nos supermercados e nas farmácias, que, tal como os laboratórios, é que estão a ganhar à conta disto, depois de anos de crise económica com a ‘troika’. Muitas vezes, apercebo-me de que as pessoas que nem sequer lavam as mãos quando vão à casa de banho. Agora, é que está toda a gente preocupada com a higiene. Já ninguém se cumprimenta. O povo quer é telenovelas, futebol e raspadinhas”, desabafou Luís Varela.

 

Estudantes de escolas de Portimão encerradas ignoram quarentena e preferem praia e centros comerciais

 

Por outro lado, numa altura em que a Câmara Municipal de Portimão e os responsáveis da Escola Secundária Manuel Teixeira Gomes e da Escola EB 2.3 Professor José Buísel, nesta cidade, encerradas desde segunda-feira, dia 09 de Março (após uma aluna e a mãe, professora de Geografia nesses dois estabelecimentos de ensino, terem sido internadas, em Lisboa, com ‘coronavírus’, após férias de Carnaval em Itália) apelam aos estudantes dessas escolas para permanecerem em casa como forma de “precaução”, muitos deles “vão para a praia e para centros comerciais, nomeadamente Aquaparque”, afirmou ao «Correio de Lagos» quem conhece bem a situação. “Vai ser difícil recuperar a matéria que, entretanto, não é dada devido ao encerramento das escolas”, observou uma professora.

 

Aluna de escola em Lagos começa a tossir e diz à professora que quer apanhar o coronavírus “para ir para a casa”

 

Já numa escola em Lagos, de acordo com informações obtidas pelo nosso Jornal, uma aluna do quinto ano começou a tossir na sala de aula e quando professora lhe perguntou o que se passava, a jovem respondeu: “quero apanhar o coronavírus para ir para casa.” Foi repreendida e acabou por se calar.

 

Mais uma aluna de Portimão infectada

 

Entretanto, está confirmado mais um caso de Covid-19 no Algarve. Trata-se de uma aluna de 17 anos, da Escola Secundária Professor José Buísel, em Portimão, onde lecciona a professora de Geografia, que ficou contaminada com o vírus. A estudante encontra-se internada no Hospital de Faro, que foi activado nesta semana por decisão da directora-geral de Saúde, Graça Freitas. Também o Laboratório Laura Ayres, situado no Parque das Cidades, perto de Faro, está operacional para a realização de testes. Em Portugal, até ao momento estão confirmados 59 casos de pessoas infectadas.

 

José Manuel Oliveira

  • PARTILHAR   

Outros Artigos